Louvores para Refleções

domingo, 14 de outubro de 2012

O Reino Milenar é o cumprimento das Alianças Divinas.

 O estabelecimento do reino milenar de Cristo se torna indispensável, porque somente assim, haverá o cumprimento de todas as alianças feitas por Deus com Israel. Uma aliança é um pacto, um acordo. E Deus fez vários pactos, acordos com a nação de Israel, nas quais, Ele próprio Se obrigou a cumpri-los, independente de o homem obedecer a Deus ou não.
  Quatro são as alianças incondicionais de Deus para com a nação de Israel:

(Gn 12.1-3)

   Nesta aliança Deus promete fazer de Abraão uma grande nação;esta nação teria a posse da terra; receberiam as bênçãos universais de Deus e através deles, se estenderia a toda a nação esta mesma bênção por intermédio de Jesus Cristo.


(Dt 30.3-10)

   Uma extensão da Aliança Abraâmica, onde Deus cita mais detalhes sobre a ocupação da Terra Prometida e as bênçãos concernentes a esta ocupação. Através desta aliança a restauração final e a conversão de Israel são garantidas.

(2SM 7.4-17, 1Cr 17.3-15);

   Nesta Aliança, Deus prometeu que Israel sempre teria um rei da linhagem de Davi, portanto, o trono seria de possessão perpétua da família de Davi, descendentes da tribo de Judá, sendo que este rei reinaria sobre a nação como um todo.


(JR.31.27-40, HB 8.7-13)


   Estabelece um novo coração para Israel, uma conversão genuína e autêntica. É estabelecida sobre o sacrifício vicário de Cristo e, por causa disso, garante bênção eterna para todo aquele que crê.Nota-se que o devido cumprimento total destas alianças de Deus com Israel será plenamente estabelecido no Reino Milenar.

Três escolas principais de interpretação:

  1º. Pré-Milenistas: entende a base da interpretação literal das profecias, a Vinda de Jesus Cristo precederá o Seu reinado de mil anos em companhia de Seus remidos.
  2º. Pós-Milenistas: acreditam que a Segunda Vinda de Jesus Cristo será precedida da vitória final do Evangelho no período do milênio.
  3º. Amilenistas: entendem que a descrição de Apocalipse 20 é puramente simbólica.




Para quem será o Milênio?


  1º. Jesus Cristo, como Rei Supremo (Zc  14.9);
  2º. Para os Salvos (1Ts  4.16-17);
  3º. Para o remanescente (nações) da Grande TribulaçãO (Mt 25.31-46);
  4º. Para os judeus sobreviventes (Dt 28.13, Is 60.10-15, Zc  8.20-23).
  O Lugar do Reino: será na Terra, refletindo não somente o aspecto espiritual, mas também o terreal (Is 65.21, Mt 5.25-26, Ap 5.9-10).
  A Capital do Reino: será Jerusalém (Sl 48.1-3). Biblicamente, a Palestina é o centro geográfico da Terra. Será o centro de adoração para todos os povos.
  A Universalidade do Reino: o reino do Messias será universal abrangendo o mundo inteiro (Ez 43.1-7, Mt 25.31, Zc 14.9; Sl 72.
  Israel no Reino: tendo Cristo como Seu Messias e Cabeça, Israel se tornará a nação líder do mundo, não mais a “cauda”, Dt 28.13-44, Is 60.10-15, Zc 8.20-23).
  A Igreja no Reino: a posição da Igreja será de esposa ao lado do Esposo, e a Rainha ao lado do Rei. A Igreja reinará com Jesus Cristo (Ap 19 e 20).

A Hierarquia no Reino

   Encontraremos um sistema hierárquico sólido no reino milenar. Jesus Cristo será o Rei. Abaixo Dele estará o grande Rei Davi, como sendo o regente, o príncipe. Depois outros reinarão sob suas autoridades.
  Provas de que Davi é o regente no milênio (Os 3.5, Ez 37.24-25, 34.23-24, Is 55.3-4; Jr 30.,33.15-21).
   Muitos são contra a idéia de que o Davi histórico reinará literalmente no milênio. Alegam que este Davi é o Senhor Jesus Cristo. A estes quero deixar três importantes versos da Palavra de Deus que demonstram que realmente é o Davi histórico, o segundo rei de Israel.
  1º. (Ez 45.22) – O príncipe nesta passagem oferece a si mesmo oferta pelo pecado. Cristo não pode oferecer sacrifício por seu próprio pecado, pois Ele nunca cometeu pecado.
  2º. (Ez 46.2) – O príncipe está comprometido em atos de adoração. O Senhor Jesus Cristo recebe adoração no milênio, mas não está envolvido com atos de adoração, ou seja, Cristo não se envolve com adoração.
  3º. (Ez 46.16)  O príncipe tem filhos e divide sua herança com eles. Isso nunca poderia acontecer com Jesus Cristo.
Portanto, para aqueles que argumentam que o príncipe citado em Ezequiel é o próprio Jesus Cristo, estas passagens se tornam um grande embaraço em suas doutrinas.
Porque devemos afirmar que realmente será o próprio Davi histórico que irá reinar?
  1º. Porque é muito mais coerente com a interpretação literal das Escrituras.
  2º. Somente Davi poderia ser regente no milênio sem violar as profecias concernentes ao reinado de Cristo.
  3º. Os santos ressurretos terão posições de responsabilidade no milênio como recompensa (Mt 19.28, Lc 19.12-27). Davi pode ser designado para assumir tal responsabilidade já que era "homem segundo o coração de Deus".
  4º. Davi será nomeado regente sobre a Palestina e governará a terra como príncipe, ministrando sob a autoridade de Jesus Cristo, o Rei.
  Note também que nobres e governadores reinarão sob Davi (Jr 30.21, Is 32.1, Ez 45.8-9, Mt 19.28). Da mesma forma muitas, outras autoridades menores também reinarão (Lc.19.12-27). E os juízes serão novamente levantados (Zc 3.7; Is 1.26).


Propósito do Templo Milenar:


   Na era milenar haverá um novo templo, onde os judeus estabelecerão como centro da adoração no milênio. Este Novo Templo será diferente dos demais, já destruídos, com dimensões diferentes, móveis diferentes dos templos anteriores (Ez 40 a 47).
 1º. Servirá para demonstrar a santidade de Deus.
 2º. Servirá para prover uma habitação para a glória de Deus.
 3º. Servirá para perpetuar o memorial do sacrifício.
 4º. Servirá para prover o centro do governo divino.
 5º. Servirá para prover a vitória sobre a maldição.
  Sacrifícios serão novamente estabelecidos, no entanto, não serão meritórios, ou seja, para perdoar os pecados. Estes sacrifícios serão estabelecidos em caráter memorial. Assim como a ceia é para nós hoje uma lembrança de que Cristo morreu e ressuscitou, os sacrifícios no milênio mostrarão ou apontarão para tal fato.


A Atuação do Espírito Santo no Milênio:


   O Espírito Santo será derramado sobre toda carne para habitar, encher e ensinar (Jr 31.33-34, Jl 2.28-32, Ez 36.25-31). Notamos que a profecia de Joel será finalmente cumprida literalmente, pois apenas uma parte fora cumprida no Dia de Pentecostes.
  A obra do Espírito Santo será mais abundante e terá uma manifestação muito maior na era milenar do que em qualquer outra época. Portanto a plenitude do Espírito Santo será comum nesta era (Is 32.15, 44.3, Ez 39.29, Jl 2.28-29).
  O cristão será, portanto, habitado pelo Espírito Santo da mesma forma como este é hoje (Ez 36.27, 37.14, Jr 31.33).
Características gerais do Milênio:
  1º. Um reino material com duração de mil anos, tendo Jesus Cristo como Rei (Ap.20.5-6);
  2º. Satanás será preso (Ap 20.1-3);
  3º. Jesus Cristo reinará com cetro de ferro (Sl 2.8-9; Ap 12.5, 19.15, Gn 49.10; Nm 24.17);
  4º. Vida longa (Is 65.19-20);
  5º. Real, concreto e visível (Ap 20);
  6º. Paz universal entre os povos e as nações (Is 9.6; Mq 4.3-4, Lc 2.13-14);
  7º. A terra da Palestina será aumentada (Is.26.15);
  8º. A topografia será alterada (Zc 14.4);
  9º. As chuvas cairão trazendo bênçãos (Is 41.18; Ez 34.26, Jl 2.23);
 10º. As fontes e mananciais de águas serão abundantes (Ez 47.1-  11, Zc 14.8);
 11º. A terra produzirá abundantemente (Is.32.15, 35.1, Ez.47.12, Am.9.13);
 12º. Haverá paz e justiça em plenitude, Is 32.16-17;
 13º. Haverá paz até na criação de modo geral, Is 11.6-9, 65.25, Rm 8.19-21;
 14º. O Evangelho será pregado em todo o mundo (Is 11.6-9, 14.1-2; 49.22-23, 60.14, Zc 8.20-23);
 15º. Ainda haverá pecado, Is.65.18-20 (Lc 19.11-27);
 16º. Novo Templo e sacrifícios memoriais (Is 56.6-7, Ez 40.1 a 44.31);
 17º. Os salvos estarão em glória com Seu Salvador (Cl 3.4);
 18º. Trabalho. O período do milênio não será caracterizado por inatividade, mas haverá um sistema econômico perfeito, no qual as necessidades do homem serão abundantemente providas por seu trabalho nesse sistema. Haverá uma sociedade plenamente produtiva, suprindo as necessidades dos súditos do Rei (Is 62.8-9, 65.21-23, Jr 31.5, Ez 48.18-19). A agricultura, bem como a manufatura proverá empregos.
 19º. Haverá um aumento de a luz solar e lunar, isto será a causa do aumento da produtividade na terra (Is 4.5; 30.26, 60.19-20, Zc 2.5).
 20º. A língua será unificada, as barreiras lingüísticas serão desfeitas (Sf. 3.9).
 21º. Haverá uma transformação no corpo das pessoas que tem deformidades físicas (Is 29.17-19, 35.3-6, 61.1-2, Mq 4.6-7, Sf 3.19).
 22º. As águas do Mar morto ficarão saudáveis e peixes serão encontrados ali (Ez 47.8).
Como será o fim do Milênio?
  1º. Satanás será solto (Ap 20.7);
  2º. Enganará multidões (Ap 20.8);
  3º. Promoverá uma rebelião (Ap 20.9);
  4º. Os rebeldes serão mortos queimados (Ap 20.9);
  5º. Satanás será destruído com um assopro da boca de Cristo (2Ts 2.8);
  6º. Satanás será lançado no Lago de Fogo e Enxofre (Ap 20.10);
  7º. O último inimigo – a morte – é derrotado (Ap 20.14, 1Co 14.26);
  8º. O Reino é entregue ao Pai (1Co 15.24-25,28, Ap 22.1).




Pr. Gilson Pereira.


 

Nenhum comentário: